O PERCEVEJO “BOMBACHUDO” ATACANDO FRUTÍFERAS NO NORTE DE ESTADO DE MATO GROSSO

O percevejo “bombachudo” atacando frutíferas no norte do estado de Mato Grosso

O percevejo bombachudo é um dos nomes populares da espécie Leptoglossus zonatus que tem sido observado atacando frutíferas no norte do estado de Mato Grosso,
Adultos e imaturos tem sido relatado atacando frutas de acerola (Figura 1 A e B), de amora (Figura 2), de carambola (Figura 3 A e B) e de manga (Figura 4 A, B e C).

Figura 1. (A e B) Percevejo Leptoglossus zonatus atacando plantas e frutos de acerola. (Fonte: Evaldo M. Pires).
Figura 2. Percevejo Leptoglossus zonatus em plantas de amora. (Fonte: Evaldo M. Pires).
Figura 3. (A e B) Percevejo Leptoglossus zonatus atacando o fruto da mangueira. (Fonte: Evaldo M. Pires).

Além desses relatos na região de Sinop, MT, esse inseto danifica diversas plantas como algodão, a berinjela, o citrus, o feijão, a goiaba, o maracujá, a melancia, o melão, o milho, o pêssego, a romã, a soja, o sorgo, o tomate, e outras.
O ataque prejudica a qualidade dos frutos, pois no local onde ele introduz seu aparelho bucal (estilete) para se alimentar, causa uma injúria na superfície do fruto e o “empedramento” na região atacada por consequência da ingestão de saliva nesse local. Pode ainda ocorrer de outros insetos como dípteros da família Phoridae se instalar no fruto através desse orifício (Figura 4 D) e esse percevejo estar também associado a doenças nas plantas relacionadas a organismos como FusariumPenicilliume e Cephalosporium.

Figura 4. (A, B e C) Percevejo Leptoglossus zonatus atacando plantas e frutos de carambola. (D) Dípteros Phoridae atacando o fruto de carambola através do dano feito por Leptoglossus zonatus. (Fonte: Evaldo M. Pires).

Recomendações para o controle
O controle cultural pode ser utilizado como uma ferramenta para auxiliar na redução do número dessa praga. O manejo das plantas daninhas que possam servir de hospedeiro alternativo para esse inseto também pode auxiliar no controle. O uso de culturas armadilha ou culturas barreiras em torno de plantações comerciais podem evitar que um considerável número de indivíduos-praga alcance a cultura principal.
Há relatos de alguns inimigos naturais que podem auxiliar no combate a esse inseto, como por exemplo a joaninha e algumas espécies de moscas, porém, para a adoção desse método faz-se necessário conhecer detalhes da relação desses organismos em programas de controle biológico.
O método químico, que consiste no uso de compostos inseticidas pode ser recomendado desde que haja o acompanhamento de um profissional capacitado, seja aquele que estabelecerá um inseticida mais adequado até o aplicador devidamente capacitado pera a tarefa. A literatura nos aponta alguns compostos que vem sendo utilizados que são inseticidas do grupo dos fosforados (paration metílico, fention, triclorfon), ou piretróides, todos via pulverização.

Observações importantes com relação ao uso dos compostos químicos:

  • Fazer uma avaliação do local a ser aplicado, isso porque alguns dos compostos relatados acima podem ser inadequados a locais em que nas proximidades existam cursos d’água;
  • Conhecer a dosagem recomendada do composto a ser adotado;
  • Conhecer o período de carência do produto;
  • Optar por compostos seletivos, de forma a preservar os inimigos naturais e outros insetos benéficos como os polinizadores;
  • Somente realizar a intervenção química após monitoramento e análise das pragas.

Há ainda um recurso para se evitar o acesso da praga a frutos, esse consiste no emprego do método mecânico de controle através do uso de sacos plásticos ensacando o fruto de forma a formar uma barreira ao acesso da praga ao produto.

Literatura consultada
Gallo, D.; Nakano, O.; Carvalho, R.P.L.; Baptista, G. C.; Berti Filho, E.; Parra, J.R.P.; Zucchi, R.A.; Alves, S.B.; Vendramim, J.D.; Marchini, L.C.; Lopes, J.R.S.; Omoto, C. 2002. Manual de entomologia agrícola. Piracicaba: FEALQ, 920p.

Monsanto, 2015. Manual de Pragas 2015 chegou a hora de conhecer mais sobre elas. Muñoz, A.; Santos, A.C.; Tsumanuma, G.; Taddone, J.; Mazza, M. 168p.

Pires, E.M.; Ruffato, S.; Manica, C.L.M.; Soares, M.A.; Lacerda, M.C. 2012. Novas plantas hospedeiras para o percevejo fitófago Leptoglossus zonatus (Dallas, 1852) (Hemiptera: Coreidae). EntomoBrasilis. 5: 249-252.

Pires, E.M; Bonaldo, S.M.; Ferreira, J.A.M; Soares, M.A.; Candan, S. 2011. New record of Leptoglossus zonatus (Heteroptera: Coreidae) attacking starfruit (Averrhoa carambola) in Sinop, Mato Grosso, Brazil. EntomoBrasilis. 4: 33-35.

Texto por:

Prof. Dr. Evaldo Pires – UFMT – Sinop

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *